Plataforma do governo permite escolher como contribuir com a Previdência

Plataforma do governo permite escolher como contribuir com a Previdência

Para ter acesso à Previdência é preciso fornecer informações da propriedade rural e dos trabalhadores. Entretanto, estes devem estar cadastrados no eSocial, que está em operação desde janeiro de 2018.

Plataforma do governo permite escolher como contribuir com a Previdência

A alteração no Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural) possibilitou ao produtor brasileiro escolher como tributar a contribuição previdenciária. Entretanto, as opções são: folha de pagamento ou receita bruta da comercialização.

Todavia, para ter acesso à previdência, é preciso fornecer informações da propriedade e dos trabalhadores no eSocial.

Na plataforma, que está em operação desde janeiro de 2018, os empregadores comunicam ao governo — de forma unificada — as informações fiscais, previdenciárias e trabalhistas. Antes do eSocial, eram preenchidos pelo menos 15 formulários.

Perdão do passivo do Funrural esbarra em Lei de Responsabilidade Fiscal

“Criamos um portal simplificado, intuitivo e amigável, em que ele não só informa a comercialização, como faz a tributação incidente sobre isso”, explica o secretário-executivo da plataforma, Altemir de Melo.

Janeiro é o prazo final para o produtor pessoa física se regularizar através do eSocial. A ação vincula um estabelecimento rural ao Cadastro de Pessoa Física (CPF) do proprietário. Dessa forma, o cadastramento deve envolver 46 milhões de trabalhadores, em oito milhões de empresas, que não são apenas do agronegócio.

A Receita Federal ainda não tem número prévio de adesões ao eSocial, mas alerta que multas podem ser aplicadas àqueles que não fornecerem as informações. O agropecuarista pode tirar dúvidas no Fale Conosco do site do órgão.

Obrigação

A Cooperativa Agropecuária da Região do Distrito Federal (Coopa-DF) tem organizado encontros com membros da Receita Federal para orientar seus cooperados. “O produtor não tem saída. Não é bem uma adesão; é uma obrigação”, afirma o vice-presidente da entidade, José Brenner.

Fonte: Portal Uol

Comente aqui

%d blogueiros gostam disto: