5 dicas para separar empresa e vida pessoal

5 dicas para separar empresa e vida pessoal

Separar as despesas pessoais das contas da empresa é um grande desafio para os gestores, independentemente do tamanho e do setor do negócio.

5 dicas para separar empresa e vida pessoal
Imagem: Divulgação

É preciso ter muita atenção com os números e, principalmente, responsabilidade para tomar as decisões mais acertadas em relação aos valores.

Entretanto, existem algumas ações que você pode tomar para tornar esse processo mais simples e fácil.

Neste artigo, vamos falar sobre a importância de separar despesas pessoais das contas da empresa e apresentar cinco práticas para adotar na sua gestão.

Gostou? Então acompanhe a leitura!

Por que é importante fazer a separação de contas

Separar a “pessoa física” da “pessoa jurídica” é um dos primeiros passos para dar início a um bom processo de gestão financeira.

Afinal, seus gastos individuais são diferentes dos empresariais. Na conta da empresa não pode entrar cartão de crédito pessoal e nem nada parecido com isso.

Ah, e também não vale ficar tirando do seu fundo dinheiro para cobrir despesas do seu negócio. Tudo tem que ser bem equilibrado.

Com essa ação de dividir gastos, você consegue:
  • ter uma melhor visão, à longo prazo, do seu planejamento financeiro;
  • gerir os seus recursos de forma adequada, tanto pessoais quanto empresariais;
  • reduzir riscos de problemas fiscais na pessoa física em eventuais contratempos.

Esses três pontos são suficientes para garantir uma maior vida útil para o seu negócio, além de evitar muitas dores de cabeça.

O controle financeiro também serve para encontrar pontos de fraqueza na sua empresa. Tendo em vista que um empreendimento tem que dar o mínimo de lucro para continuar existindo, não é mesmo?

5 dicas para separar despesas pessoais das contas da empresa

Agora que você já sabe o “por que” de separar suas contas, chegou a hora de aprender o “como”.

Mas não se preocupe! Isso não é tão difícil quanto pode soar.

Para tanto, temos cinco dicas. Acompanhe agora:

Faça um detalhado estudo da sua realidade financeira

Um estudo financeiro é o primeiro passo para dar início a esse processo de separação de contas.

Devo dizer que, se você não tiver conhecimento sobre as suas finanças, dificultará um pouco o processo de organização.

Aqui você precisa fazer uma avaliação detalhada e crítica da realidade financeira da sua empresa.

Pontos como o faturamento, os recursos, os lucros e os gastos são elementos fundamentais nesse momento.

Com esse estudo, você vai poder visualizar com muito mais clareza a realidade do seu negócio e decidir quais serão os seus próximos passos. Claro que é necessário pensar a longo prazo.

Avalie a possibilidade de automatizar seu processo de identificação com ajuda de um software de gestão empresarial. 

De forma similar, repita esse processo nas suas finanças pessoais. Inclusive, você pode ter até o auxílio de planilhas simples para anotar gastos fixos mensais.

Ao finalizar essa fase, será mais fácil encontrar o ponto de estabilidade entre o seu CPF e CNPJ.

Defina a sua remuneração

Com o estudo da realidade financeira concluído e seu planejamento em mãos, é hora de definir os seus ganhos.

É muito comum ver empreendedores que tomam para si o que sobrou do faturamento mensal da empresa, como se aquilo fosse seu salário.

Isso, na realidade, é um erro. Esse ato, inclusive, pode ser bastante prejudicial para a saúde financeira do negócio.

Você precisa ter um capital na empresa. Precisa ter dinheiro em caixa para investimentos ou eventuais gastos.

Aqui, o ideal é que você defina o seu “salário”. Ele pode ser um valor fixo mensal ou uma porcentagem sobre os ganhos.

Esse dinheiro é o que chamamos de “pró-labore”. Caso você tenha sócios, é preciso fazer essa mesma definição com eles.

Essa definição precisa ser bastante franca e honesta para que não afete as finanças do negócio.

Assim, com as retiradas definidas, o capital de giro da empresa continua preservado. Nada de “limpar a conta” e não pensar no futuro do seu negócio.

É importante pontuar que muitas empresas vão à falência por falta de organização financeira. É necessário ter uma boa administração para que o negócio dê frutos.

Separe as contas bancárias

Agora que você vai ter um salário definido, o próximo passo é separar as suas contas bancárias.

Tenha uma conta corrente pessoal e receba o dinheiro da sua pessoa física por lá.

Desta forma, você diminui consideravelmente as chances de tocar no dinheiro da empresa para fins pessoais, mesmo que de forma acidental.

Não caia na história de dizer que sabe exatamente a quantidade de dinheiro da empresa e o seu pessoal. Todos sabemos que isso não vai dar certo.

Com entradas e saídas frequentes de dinheiro, fica praticamente impossível acompanhar o ritmo. A decisão acertada é optar por contas separadas.

Essa prática é vantajosa, também, porque é comum que bancos tenham produtos diferentes para contas de pessoa física e jurídica.

Assim, você encontrará benefícios nas duas modalidades.

Evite misturar as despesas sempre que possível

Da mesma forma que você vai separar as suas contas, as despesas também não deverão ser misturadas.

O que isso significa? Os gastos relativos à sua empresa devem ser pagos com a conta da sua pessoa jurídica. Os do CPF seguirão a mesma lógica.

Entretanto, esse tipo de arranjo só será possível se você tiver cumprido com os outros passos acima.

Apenas com uma avaliação das finanças, definição do pró-labore e contas separadas que você conseguirá ter clareza para separar essas despesas.

Analise os números com frequência

A minha primeira dica aqui foi o estudo da sua realidade financeira.

Entretanto, esse procedimento não deve ser feito apenas uma única vez. Na realidade, quanto mais você puder atualizar esses números, melhor.

Por isso, estabeleça uma frequência recorrente para fazer a análise dos dados.

Desta forma, você vai poder conferir como está a saúde financeira da empresa e ver se os planejamentos precisam ser reformulados.

É possível, também, fazer as atualizações referentes às suas despesas pessoais para saber se dá para aumentar seu pró-labore, por exemplo.

Aqui você pode conferir o motivo e como é possível começar a separar despesas pessoais das contas da empresa. Seguir esses passos é uma estratégia fundamental para gerir melhor suas finanças e garantir um uso proveitoso do dinheiro.

Com informações de Jornal Contábil

Comente aqui

https://t.me/lobscontabil
%d blogueiros gostam disto: